sexta-feira, 1 de março de 2013

Receitas do Interior.



Na arte culinária a principal estratégia é agradar o paladar. Nas cidades do interior existem receitas que fazem sucesso, e muitas trazem um requinte especial que vão desde o pastel da vovó até o macarrão da “mama”. Além de valorizar e divulgar a cultura de uma região aquecem um importante setor da economia brasileira: o turismo.
A mistura de culturas de europeus, indígenas e africanos faz da culinária brasileira uma das mais apreciadas e rica em sabores variados. E por ser extenso o território brasileiro cada região traz um prato típico:

Centro – Oeste.
A carne seca com arroz é um prato bem conhecido do Mato Grosso assim como o Pacu assado com farofa de couve, o arroz com pequi, a carne seca com banana-da-terra verde, farofa de banana-da-terra madura além do tradicional churrasco pantaneiro que se desenvolveu pelas longas comitivas de gado no pantanal.

Arroz com pequi.


Norte.
Quem nunca ouviu falar do pato no tucupi?
um prato brasileiro típico da culinária Amazônica. É elaborado com tucupi, líquido de cor amarela extraído da raiz da mandioca brava, e com jambu, erva típica da região norte. Pode ser acompanhado por arroz branco ou farinha-d'água de mandioca.
O tucupi e o jambu também estão presentes em outra iguaria amazônica à base de camarão chamada tacacá.

Pato no tucupi.


Nordeste.
Pratos característicos da Região Nordeste incluem a tapioca, o vatapá, a moqueca (ambos com frutos do mar e azeite-de-dendê), o baião de dois (feito de arroz e feijão, com diversas variedades, geralmente incluindo também carne seca, queijo coalho, manteiga da terra ou nata), o acarajé (um bolinho de feijões brancos e cebola fritado no azeite de dendê recheado com camarões, pimenta vermelha, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional como patrimônio imaterial em 2004), o mugunzá (feito de feijão e milho, sendo doce em algumas áreas e, em outras, salgado, com linguiça), caruru (quiabo e castanhas de caju, camarões, pimenta e alho), iguaria de origem indígena adaptado pelos escravos nos engenhos e servido aos orixás e o sarapatel. Os pratos tem forte influência africana. Entre outros.

Baião de dois.

Sudeste.
A cozinha mineira traz pratos que incluem milho, carne de porco, queijo minas, o pão de queijo, o feijão tropeiro, angu, o tutu à mineira, elaborado a partir uma pasta de feijão cozido misturado com a farinha de mandioca, guarnecido com ovos cozidos ou fritos, e linguiça frita. Além das quitandas, que são biscoitos a base de polvilho, sequilhos, roscas, o famoso pão-de-queijo, e doces à base de laranja-da-terra, abóbora e mamão. Típico de Minas Gerais é a utilização das panelas feitas de pedra-sabão.

Feijão tropeiro.



O estado de São Paulo e principalmente a cidade de São Paulo é a capital gastronômica de projeção internacional, pois lá existem pratos de diversas regiões do mundo. Os pratos tem principalmente forte influência libanesa, síria, italiana e japonesa. Os pratos mais conhecidos são:
Virado à Paulista - é um prato típico da comida caipira, preparado com feijão cozido e refogado com gordura, sal, cebola, alho, acrescentando-se depois farinha de mandioca até absorver todo o caldo. É acompanhado de lingüiça, ovos fritos, couve, torresmo e costela de porco.


Moqueca Capixaba – É um prato típico do Espírito Santo. Traz um cozido de peixe e frutos do mar com diferentes temperos. Tradicional item da culinária capixaba, apresentando variações na culinária bahiana e paraense. A moqueca atual não é assada, e sim refogada.
No Rio de Janeiro, uma das comidas típicas é a feijoada, preparada com vários tipos de carnes suínas e bovinas, salgadas e embutidos e o feijão preto. Há também o tradicional filé com fritas, um prato a base de batatas-fritas e grandes bifes de filé bovino grelhados, como o Filé à Osvaldo Aranha, acompanhado de farofa, arroz branco e alho frito. Na cidade do Rio de Janeiro e em outras cidades do estado, se encontram variados tipos de restaurantes, com cardápios nacionais e de influência internacional. No Rio de Janeiro se consomem peixes cozidos acompanhados de pirão, conhecido como Peixada à Brasileira, ou ensopado como a Sopa à Leão Veloso, peixes na brasa ou fritos, muito consumidos nas áreas de banhos de mar, e também frango ou galeto assado na brasa. Os pratos cariocas tem a forte influência africana, indígena e portuguesa. Popularmente é muito consumido o refresco a base de chá mate, servido gelado.

Moqueca capixaba



Feijoada

Sul.
Torna-se impossível citar a culinária gaúcha sem nos referirmos ao seu tradicional churrasco, ou seja, carne bovina ou ovina, dispostas em espetos, temperadas basicamente com sal grosso e grelhadas em churrasqueiras, a base de carvão ou lenha.


A comida tradicional do estado do Paraná é o barreado, carne cozida com legumes em panelas de barro, por vezes colocadas debaixo da terra para cozinharem sob o calor de lenha ou carvão, e comida com farinha de mandioca. O pinheiro de araucária produz o pinhão, alimento muito presente na cozinha paranaense. É consumido de várias formas: cozido, assado, e pode ser saboreado com sal, açúcar, mel ou melado. No estado são comuns festas tradicionais que envolvem um preparo específico da comida, como o Boi no Rolete, Carneiro no Buraco e o Leitão Maturado.

Barreado.
Os pratos são sempre carregados de muita carne bovina e de vinhos, por conta da grande imigração italiana, que tem forte influência nos pratos. O sul foi habitado por muitos povos, por ser uma região com um clima mais próximo de certos países. Entre esses imigrantes estão os uruguaios, argentinos, açorianos, espanhóis, alemães, italianos, poloneses, ucranianos, que trouxeram suas comidas e adicionaram uma diversidade a gastronomia local.

O interior de Santa Catarina, pela forte influência alemã, e no litoral a presença portuguesa, onde é grande a utilização de peixes marinhos, camarões, e ostras.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Bebidas.
Segundo uma pesquisa recente (19/02/2013) as cinco bebidas alcoólicas mais consumidas no Brasil são a Cerveja, a Cachaça, o Vinho, a Vodka e o Vinho Branco (Fonte: www.sitedecuriosidades.com)
E em dados gerais o café é a segunda bebida mais consumida no país, perdendo apenas para a água segundo o site meridiano (www.meridiano.com.br) de 23/05/2012.

Festival da Cerveja.



A Oktoberfest é um festival de cerveja e uma feira de produtos e diversões celebrada originalmente em Munique (München), no estado da Baviera (Bayern), no sul da Alemanha, e disseminada por vários lugares do mundo. Em Munique, a Oktoberfest se inicia em meados de setembro e termina duas semanas mais tarde, no primeiro domingo de outubro - daí o nome Oktoberfest (Em alemão, "Oktober" significa outubro, e "Fest", festa ou festival). No Brasil o festival começou a ser realizado em 1976 em Itapiranga/SC, e hoje é realizado em Blumenau/SC, Santa Cruz do Sul/RS, Igrejinha/RS, Marechal Cândido Rondon/PR, Ponta Grossa/PR,, São Jorge d'Oeste/PR entre outras cidades.

Curiosidades: A Oktoberfest de Blumenau/SC atrai turistas do Brasil e do exterior, especialmente da Alemanha, mas também de países vizinhos da América do Sul e da América do Norte, sendo considerada a segunda maior festa alemã do mundo - atrás apenas da Oktoberfest original, em Munique. Segundo o site oficial do evento, em 2009 a Oktoberfest de Blumenau, atraiu 731.934 visitantes que consumiram pouco mais de 450 mil litros de chope e 19.821 garrafas de cervejas importadas.
Atualmente é considerada a maior festa Alemã das Américas e em 2012 aconteceu nos dias 10 e 28 de outubro.



Festa da Uva.

A Festa da Uva, ou Festa Nacional da Uva de Caxias do Sul, é uma festa brasileira da cultura italiana e da produção agro-industrial regional que acontece a cada dois anos no município de Caxias do Sul, estado do Rio Grande do Sul. A última edição, de 2012, foi realizada entre os dias 16 de fevereiro e 4 de março.

Em Vinhedo, SP, também foi realizada este ano a 52ª Festa da Uva e 4ª Festa do Vinho de 2 a 17 de fevereiro de 2013.


A Gastronomia além de ser um hábito alimentar também satisfaz as necessidades básicas do ser humano. Pode ser considerada como uma aliada ao Turismo, onde tem se tornado uma fonte de conhecimento cultural nas cidades do interior de cada estado. Essas cidades a utilizam como uma ferramenta ao anseio de manter uma identidade cultural por meio dos costumes gastronômicos que são bem variados de uma região pra outra.

Em princípio o turista vai à um restaurante com o objetivo de saciar sua fome, nesse momento ele tem a oportunidade de saborear um alimento típico e conhecer um pouco mais a respeito da cultura dessa região.

Qual a receita que mais faz sucesso em sua cidade?



Vejam também neste blog: