terça-feira, 27 de março de 2012

A História do Grupo Escolar - Dourado, SP.




A História do Grupo Escolar.

Quando a Câmara dos Deputados, de bancada oposicionista, levantou-se a voz, acusando a construção do Grupo Escolar no município em que o Dr. Carlos José Botelho era fazendeiro, respondeu ele sereno e decisivamente: “a verba orçamentária destinada pelo Governo à minha Secretaria é para construção de oito Grupo Escolares e dentro dela, como de Dourado, estou fazendo nove.”

Esta justificativa patriótica e honesta, foi água na fervura parlamentar. Ele poderia responder ao ataque dizendo ao acusador, que não construiu escola para seus filhos ou para os filhos dos seus colonos, mas sim, para um povo que tinha direito ao Ensino Público.

O Dr. Botelho desenhou o esquema da construção com sua própria bengala no chão onde a obra foi erguida.
O terreno onde foi construído o Grupo Escolar foi oferecido pela municipalidade em frente à praça São João.
O projeto foi idealizado entre 1907 e 1908 por Manoel Sabater, autor de inúmeras edificações escolares na antiga Superintendência de Obras Públicas.

Sua construção pode ser comparada a de Humbeeck, embora presente uma linha de estilo bastante peculiar.
Os ornamentos utilizados na composição das fachadas, são semelhantes a alguns que esse mesmo arquiteto utilizou posteriormente na elaboração de um projeto para o Grupo Escolar, em 1909.

Algumas pranchas originais estão identificadas de “Typo de Escola Mixta”. Entretanto as características da edificação são as mesmas dos demais Grupos Escolares, com oito salas de aula, isoladas 4 a 4 em alas diferentes. Separando as duas seções localiza-se uma sala destinada aos professores, o único ambiente administrativo existente na escola.

As salas de frente são separadas por uma divisória leve de madeira, podendo integrá-las num mesmo ambiente.

Com algumas diferenças entre si, quanto aos ornamentos, formas das evazaduras, as Escolas de Dourado e Ribeirão Bonito distinguem-se dos edifícios até então projetados, no tratamento formal das fachadas.

As aberturas ganham novo ritmo, concentrando-se duas a duas e os frontões normalmente situados no centro das edificações, passaram a ornamentar as extremidades do edifício.

Ao contrário do que ocorre na maioria das Escolas, nosso prédio mantém ainda as janelas originais de madeira.

No decorrer dos 90 anos de sua criação “A Escola passou por vários nomes”.
1909 = Grupo Escolar de Dourado.
04/09/1952 = De acordo com o Decreto 21.694 de 04/09/1952 – O Grupo Escolar passa a denominar-se Grupo Escolar “Senador Carlos José Botelho”.
21/01/1976 = O Decreto 7.400 de 30/12/1973 e ainda considerado o disposto no plano Estadual de implantação da Lei 5.692/71 – aprovado pelo parecer 990/72 do C.E.E resolve:
Artigo 1º : Adotar as seguintes medidas para a reestruturação da rede oficial de ensino da Divisão Regional de Educação de Ribeirão Preto, Município de Dourado.
Transformar o G.E. “Senador Carlos José Botelho” em Escola Estadual de 1º Grau “Senador Carlos José Botelho”.
23/10/1997 = Com a Municipalização do Ensino em Dourado em 1997, a E.E.P.G. “Senador Carlos José Botelho” passou a Escola Municipal de Ensino Fundamental “Senador Carlos José Botelho”.
1999 = Escola Municipal “Senador Carlos José Botelho”.

Contribuição desta publicação no blog: Osvaldo Virgilio (Tijolinho).

Fotos da Edição Especial de 1999.







Veja também neste Blog: