quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Praça Alfredo Araújo, Dourado – SP, Brasil.


Conhecida pelos cidadãos como a “Praça da Prefeitura”, Está localizada nas coordenadas 22º 06’ 54.33” latitude Sul e 48º 19’ 03.04” longitude Oeste e entre as ruas Santos Dumont e Demetrio Calfat, no Centro de Dourado e compreende o prédio da Prefeitura Municipal (FIGURA 06).



FIGURA 06: Visão panorâmica. Localização da Praça Alfredo Araújo presente na cidade de Dourado-SP (FONTE: Google Earth; 08 set 2011).



De acordo com a Prefeitura Municipal de Dourado, foi denominado o largo situado no bairro Centro, dentro do perímetro urbano do município, entre as Ruas Santos Dumont e Demetrio Calfat, sob a Lei Nº 112 (de 28 de novembro de 1951) de Praça Alfredo Araújo (Prefeitura Municipal de Dourado).

É uma das construções mais antigas da cidade de Dourado – SP e consigo traz relatos da vida passadista e dos momentos mais importantes ocorridos e registrados. 
 
A praça foi construída em 1928 junto ao prédio da Prefeitura Municipal (FIGURA 19) e seu nome veio em homenagem ao prefeito Alfredo Araújo que permaneceu 20 anos no mandato político da cidade (1906 – 1926). A arquitetura do lugar abrangia a moda da época, contendo iluminações com postes de ferro, forrações como, por exemplo, os gramados (Paspalum notatum Flügge) que agradavam os visitantes e moradores locais e as Palmeiras-Imperiais (Roystonea oleracea [Jacq.] O.F. Cook) que são avistadas até hoje e ainda lembradas pelos cidadãos mais antigos (FIGURA 19.A). 
 
Por volta de 1986, a primeira remodelagem brusca muda as feições do logradouro estimado. Foram erguidas muretas para estruturar os jardins modificando a estrutura da praça, onde as crianças brincaram e se divertiram por um longo período de tempo (FIGURA 19.B). 
 
Agora, a última reformulação desta praça, ocorreu provavelmente no ano de 2008. Com o intuito de resgatar as características originais de sua construção, as muretas foram derrubadas e o prédio da Prefeitura recebeu decorações novas que tentaram imitar a arquitetura histórica que já possuía na década de 1920. 
 
De lá para cá, nada foi mudado e a praça é utilizada, normalmente, para apresentações cívicas englobando uma belíssima iluminação, bancos espalhados para acomodação dos cidadãos e vegetação rasteira, incluindo muitas espécies ornamentais que embelezam com suas múltiplas colorações (FIGURA 19.C).




FIGURA 19: Construção do Prédio da Prefeitura Municipal de Dourado – SP em 1928 (IMAGEM: José Miguel Demeti. Acervo Pessoal).






FIGURA 19.A: Prefeitura Municipal de Dourado – SP e o largo Alfredo Araújo em 1928 com suas primeiras espécies vegetais. Em destaque a muda de Roystonea oleracea [Jacq.] O.F. Cook, (Palmeira-Imperial) dentro do quadrilátero vermelho (IMAGEM: José Miguel Demeti. Acervo Pessoal).






FIGURA 19.B: Primeira remodelagem brusca ocorrida na Praça Alfredo Araújo em 1986, com destaque nas muretas que foram erguidas mudando as feições originais do passado (IMAGEM: Guilherme Carli Pereira. Acervo Pessoal).




FIGURA 19.C: Praça Alfredo Araújo depois da ultima remodelagem em 2008 (IMAGEM: DONATO, G. R, 2011).


Donato, Gabriel Romeiro.
Abordagem florística e fitossociológica das praças da cidade de
Dourado-SP com traços de sua história e cultura/Gabriel Romeiro
Donato - Araraquara: Centro Universitário de Araraquara, 2011.


AGRADECIMENTOS:

A professora Flavia Cristina Sossae pela ajuda e orientação.
Ao professor João Carlos Geraldo pelas dicas e co-orientação.
A todos que contribuíram disponibilizando arquivos e memórias, cedendo lembranças e fotografias. Em especial a Adilson Carlos C. Guimarães, Afrânio José Donato, Ariovaldo Felippe Foschini, Attilio Jacobucci, Benedito Aparecido Honório, Clarice Lopes Pinheiro, Cleria Rossi Flores, Dircio João Roberto, Edmur M. Buzzá Neto, Elva Silva Motta Buzzá, Evandro Miranda Gonçalves, Guilherme Carli Pereira, João Carlos Ballestero Martins, José Finhana Riva, José Miguel Demeti, Kathya Lilian Carli Pereira, Lafaiete Lozano, Luiz Antonio Mastroangelo, Maria Cleuza de Oliveira Abreu, Natália Verrunes Tortoreli, Nereide Aparecida Mangini Neshikawa, Oswaldo Mariano, Oswaldo Munhoz, Suely Aparecida Romeiro dos Santos e Vicente José Lozano.
A Beatriz Rosalin por averiguar a gramática correta.
A João Carlos Brunelli Martins pelo apoio na classificação florística.
A Gustavo Guimarães pelo auxilio nas medições dos dados fitossociológicos.
A minha família pela força e entusiasmo diante as adversidades da vida.
A todos que cooperaram, direta ou indiretamente, com este trabalho, meu muito obrigado!



Veja também neste Blog: